Insumos biológicos e manejo do solo dominam pauta da Conferência Rural

A sustentabilidade foi mais uma vez o pano de fundo do Momento Master da Conferência Rural desta 95ª Expofeira Pelotas. No fim da tarde desta terça-feira (5) os palestrantes convidados abordaram a importância do uso de insumos biológicos como saída para reduzir a dependência do agronegócio brasileiro do mercado externo de fertilizantes e a necessidade do bom manejo no solo para garantir bons resultados no campo. As palestras contaram com participação das pesquisadoras da Embrapa Clima Temperado Maria Laura Mattos e Walkiria Scivitaro. A mediação coube a Décio Gazzoni, palestrante que abriu o Momento Master da Conferência deste ano.

Fábio Reis, da Embrapa Cerrados, e presidente do portfólio de insumos biológicos da empresa, foi o primeiro a falar, por meio de videoconferência. Ele proferiu a palestra Bactérias do bem – driblando a dependência de insumos do exterior. Em sua fala, lembrou que o agronegócio brasileiro responde por uma produção cada vez mais impactante mas é profundamente dependente da importação de fertilizantes – entre 70 a 90% do que utiliza.

A saída, conforme o pesquisador, é apostar na promoção de “bactérias do bem”, pela importância ecológica, uma exigência cada vez maior do público consumidor da União Europeia, um dos maiores mercados da produção agrícola brasileira, e pela capacidade de alterar o perfil do agronegócio brasileiro, produzindo alimentos com sustentabilidade.

Reis apresentou números e perspectivas animadores. No Paraná, safra 2019/2020, insumos biológicos foram utilizados por 636 produtores em 81 municípios. Pode parecer pouco, mas para diminuir a dependência externa por insumos e para garantir sustentabilidade ambiental aos produtos agrícolas brasileiros, Reis estima que se hoje a utilização de insumos biológicos é uma exceção, em uma década será predominante na agricultura nacional.

O pesquisador José Carlos Polidoro, da Embrapa Solos, ministrou também por videoconferência a palestra Manejo do solo de olho na produtividade. Reforçou durante sua fala a importância do uso eficiente de fertilizantes e a necessidade pela descoberta de novas fontes de nutrientes. Ele também bateu na tecla de o País ser um dos maiores produtores de produtos agrícolas do mundo ao mesmo tempo que é o maior importador de insumos, o que representa um custo de 9 bilhões de dólares ao ano.

“Se der um apagão na produção de fertilizantes, o Brasil vai provocar problemas internos e no mundo inteiro”, disse.

Porém, nem tudo é problema: Polidoro cita o Plano Nacional de Fertilização, que prevê o desenvolvimento de novas tecnologias na produção de fertilizantes. Objetivo, segundo ele, é intensificar a sustentabilidade do agronegócio brasileiro em um futuro próximo, dentre outras ações nesse sentido.

Evento

A Conferência Rural, maior evento técnico-científico sobre o agronegócio regional, prossegue até sexta-feira (9). Além do Momento Master, que ocorre sempre às 17h30, conta com programação extensa e diversificada que começa pela manhã com simpósios, palestras, seminários e painéis, estendendo-se durante todo o dia.

Foto: QZ7 Filmes