Pavilhão da agricultura familiar é aberto ao público

Um dos mais aguardados espaços da 95ª Expofeira Pelotas está oficialmente aberto. Na tarde desta quinta-feira (7), com direito à presença do prefeito em exercício Idemar Barz e do secretário de Desenvolvimento Rural, Jair Seidel, o Pavilhão da Agricultura Familiar foi disponibilizado ao público. São quase 30 expositores de nove municípios da Zona Sul e da região da Campanha.

“A agricultura familiar sempre chamou muita atenção dentro de uma feira, ainda mais em feira de agronegócio, é assim na Expointer e é assim também na Expofeira Pelotas, felizmente”, disse Idemar Barz, que deu por aberto o Pavilhão ao circular em comitiva pelos estandes.

Dentre os municípios representados, Canguçu marca forte presença. Reconhecido como capital da agricultura familiar, o município em dois estandes oferece produtos de cinco agroindústrias. São embutidos, frango caipira, farináceos, sementes crioulas de milho e feijão, grãos, sucos, doces e schimier. “Todos com selo de procedência”, acrescenta, sem disfarçar o orgulho, Alexsandra Soares Domingues, do Programa de Desenvolvimento Local, grupo de apoio à agricultura familiar com atuação em Canguçu que conta com apoio da Emater e hoje soma 70 voluntários.

Da Ilha dos Marinheiros, interior da também vizinha Rio Grande, o expositor Gabriel Dias traz à Expofeira Pelotas um produto conhecido do local: a jeropiga Tradição da Ilha. É a terceira vez que ele participa do Pavilhão da Agricultura Familiar. A primeira foi em 2019 e a segunda no ano passado, quando funcionou apenas como drive trhu em função das restrições impostas pela pandemia. Vale a pena: “Qualquer evento em Pelotas vale a participação”, diz ele. “Tem um público abrangente, o produto fica mais conhecido, chega a mais gente e financeiramente é viável.”

O artesão César da Silva, da aldeia Kaingang localizada na Colônia Maciel, zona rural de Pelotas, espera ao final da Expofeira concordar com Dias. É a primeira vez que a aldeia traz trabalhos em artesanato feitos pela tribo. São peças em palha, madeira, penas de pássaros, entre outros materiais. “É sempre importante ter oportunidades para mostrar nosso trabalho”, afirma. O produto turismo rural também está presente no espaço. O estande da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) divulga os 40 empreendimentos abertos na chamada Colônia (zona rural) de Pelotas – entre gastronomia, natureza, hospedagem, lazer e aventura – perfil do parque Stone Land, de 37 hectares, que a empreendedora Nívea Nunes Saraiva administra na Cascata. “Turismo não se faz sozinho, precisamos da pousada, da cachoeira, vários negócios estão iniciando na região que com certeza receberão muitos visitantes nos próximos anos”, aposta ela.

Foto: QZ7 Filmes]